A Voadora da Noite voa novamente – por George R.R. Martin

Publicado em: 29/11/2017


Passei um tempo em L.A. na semana anterior ao Dia de Ação de Graças, como já falei no post “Cidade dos Anjos”. Reuniões, reuniões e mais reuniões… e também alguns encontros com velhos amigos.

Muitas coisas legais estão em curso, mas não posso falar sobre a maioria delas. (Ainda.)

Posso, entretanto, dizer algumas palavras sobre os pontos altos da viagem. Finalmente tive a oportunidade de sentar e trocar ideias com os caras que estão adaptando para a televisão NIGHTFLYERS, baseado na novela “Voadores da Noite”, pelo canal SyFy: o roteirista/criador Jeff Buhler, que escreveu o piloto, e o showrunner Daniel Cerone, que vai conduzir a série.

Foi a primeira vez que encontrei (ou falei com) Jeff ou Daniel, mas nossa reunião foi excelente, e fiquei impressionado com o entusiasmo deles e com tudo o que estão planejando para a série. Cerone tem no currículo uma extensa listas de créditos que inclui THE BLACKLIST, THE MENTALIST e DEXTER. Já Buhler escreveu para as séries ELOISE, PET SEMATARY e THE MIDNIGHT MEAT TRAIN. Ele também é ator e diretor. Li um esboço do que ele escreveu para o piloto em maio, quando soube que havia esse projeto de levar NIGHTFLYERS para a televisão. Ainda que se distancie da minha novela em alguns aspectos, a essência da história permanece a mesma – e acho que o roteiro é por si só bem sólido e será um ótimo ponto de partida para a série.

A versão original de “Voadores da Noites” foi publicada em 1980 (quando eu era mais parecido com o cara da foto abaixo) como uma novela de 23 mil palavras na revista ANALOG. Ambientado no universo dos meus Mil Mundos (Thousand Worlds, que também chamo de Manrealm), é um dos híbridos de ficção científica e terror que escrevi no fim nos anos 70 e no começo dos 80, sendo o mais conhecido deles, “Reis da Areia”* (“Sandkings”), do ano anterior. “Reis da Areia” foi premiado tanto com o Hugo quanto com o Nebula**, e “Voadores da Noite” também foi bem recebido, ganhando o LOCUS*** como melhor novela e uma indicação ao Hugo (perdendo o foguete**** para um livro da série “Dorsai!”, do Gordy Dickson). A novela também ganhou o prêmio Seiun no Japão. (Vale ressaltar que a inspiração para as duas histórias foi uma declaração de um crítico, que li em algum lugar, dizendo que ficção científica e terror eram opostos e fundamentalmente incompatíveis. Como fã de ambos desde sempre, essa declaração ficou na minha cabeça como uma grande besteira, então me dediquei a misturar os dois gêneros para provar que ela estava. Na minha opinião, funcionou muito bem.)

Alguns anos depois, aumentei “Voadores da Noite” para 30 mil palavras para a inclusão em um volume da série BINARY STAR, da Dell, onde ela fez par com “True Names”, de Vernon Vince. Desde então a versão mais longa tem sido a minha preferida, e foi ela a incluída na coletânea da Bluejay Nightflyers and Other Storjes e mais tarde em George R.R. Martin: RRetrospectiva da Obra. Em 1984, os direitos para cinema e TV foram comprados pela Vista e um filme de baixo orçamento foi lançado em 1987, com roteiro de Robert Jaffe e estrelando Michael Praed e Catherine Mary Stewart.*****

Em algum momento no último ano, ou por aí, o SyFy adquiriu os direitos para a televisão por meio daquele antigo acordo para o filme, sem o meu conhecimento; a primeira vez em que ouvi falar que a série estava em desenvolvimento foi na primavera passada. Para ser honesto, a princípio fiquei confuso em pensar de que forma eles imaginavam tirar uma série da minha história, já que no fim da novela (e do filme) praticamente todo mundo morre (é uma história de terror, afinal de contas). Porém, em maio, recebi uma cópia o roteiro de Jeff Buhler e pude entender como eles fizeram isso. Foi uma boa leitura e, sim, terminei com uma boa noção sobre de onde eles podem tirar algumas temporadas.

Fiquei muito satisfeito por ter a chance de sentar e conversar com Jeff e Daniel, conhecendo assim mais do seus planos. Em maio NIGHTFLYERS era apenas o roteiro de um piloto, mas logo depois foi escolhido para virar uma série completa, de dez episódios, com um orçamento considerável – que deve fazer com que eles sejam capazes de criar um programa que seja o que o público moderno espera ver. Eles me mostraram desenhos de alguns projetos para o cenário, que são muito bacanas. Eles me mostraram até a própria VOADORA DA NOITE:

NIGHFLYERS será filmado na República da Irlanda, me disseram, em estúdios na cidade de Limerick… o que fará que com eles tenham acesso ao mesmo excelente poço de atores irlandeses e britânicos que GAME OF THRONES perfurou em Belfast (e, levando em conta a quantidade de personagens que eu matei, muitos deles devem estar disponíveis). ((Se por algum milagre eu for capaz de completar boa parte dos meus outros projetos para ter algum tempo livre, adoraria ir até lá e matar dois pássaros numa cajadada só visitando os sets de GOT e NIGHTFLYERS… mas, tendo em vista minha quantidade de trabalho, acho que estou sendo otimista demais.)) Caso tudo ocorra de acordo com o cronograma, a série deve estrear no meio do ano que vem, ao fim de julho. Ela será exibida no SyFy, nos EUA, e, no resto do mundo, na Netflix.

Neste momento, Cerone, Buhler e equipe estão mergulhados na pré-produção e seleção de elenco… e tenho algumas novidades do front de elenco, também, sobre uma escalação que me agradou mais do que sou capaz de dizer, mas que vou guardar para outro post.

Localização atual: SANTA FE

Mood atual: EMPOLGADO


Texto traduzido do post “The NIGHFLYER Flies Again”, publicado originalmente por George R.R. Martin em seu blog oficial em 27 de novembro de 2017. Link para o blog: http://grrm.livejournal.com/.


* “Reis da Areia”, assim como “Voadores da Noite”, faz parte do novíssimo e monumental George R.R. Martin: RRetrospectiva da Obra.
** Hugo e Nebula são dois dos principais prêmios internacionais concedidos à literatura de ficção científica.
*** Premiação literária da revista dedicada à ficção científica Locus, com base em votos dos leitores.
**** O troféu do Hugo é em formato de foguete.
***** George recentemente deu mais detalhes sobre a história da publicação de “Voadores da Noite” neste post

Compartilhe


Comentários