“O Dragão de Gelo” se passa no mesmo universo de “As Crônicas de Gelo e Fogo”?

Publicado em: 20/06/2018


“O Dragão de Gelo”, conto publicado por George R. R. Martin em 1980, é a história da garota Adara e sua relação com uma mítica criatura do inverno. Através da narrativa, somos transportados para um mundo antigo, mágico e também cruel com famílias menos afortunadas, como a da protagonista.

É natural notar várias semelhanças entre o conto e “As Crônicas de Gelo e Fogo”. A história dele gira em torno da ideia de existir uma criatura que traz o inverno. Temos uma criança protagonista que possui pele pálida, fria e brilhantes olhos azuis, assim como os Outros. Além disso, quando os moradores da aldeia de Adara descrevem o dragão de gelo, parecem sugerir que ele seja a antítese do calor, da terra fértil que oferece alimento e sobrevivência. Em ambas histórias, os elementais de gelo são considerados seres que trazem a morte, embora pareçam ser preenchidos de vida, só que de outra natureza. Por último, a história de Adara se passa numa sociedade onde existem costumes de uma época análoga à nossa idade média. Na história existem reis, dragões, e cavaleiros.

De fato, as delicadas semelhanças na ambientação e narrativa de ambas as criações de Martin são diversas. No entanto, não se tratam de histórias criadas num mesmo universo, de acordo com o próprio autor dos livros.

O conto foi escrito cerca de uma década antes de Martin começar a rascunhar “As Crônicas de Gelo e Fogo”. Ele apontou essa questão em seu blog, há alguns anos, expondo que as histórias não se passam num mesmo mundo, e que o mundo de Gelo e Fogo ainda não existia quando nos apresentou a história de Adara.

“O Dragão de Gelo” foi o segundo de três contos que escreveu durante suas férias de natal no inverno de 1978-1979. A história teve inspiração nos duros invernos que o autor passava na cidade de Dubuque, em Iowa, onde era instrutor de jornalismo e escritor convidado na Clarke University. Para ele, “Dragão de Gelo” foi um dos raros momentos em que a obra “nasceu sozinha”:

“As palavras pareciam jorrar de mim e quando terminei estava convencido de que aquele era um dos melhores contos que havia escrito, talvez o melhor”.

Cerca de doze histórias separam “O Dragão de Gelo” e A Guerra dos Tronos, entre fantasia e ficção científica. Enquanto Adara e seu amigo elemental são considerados uma aventura infantil, em “As Crônicas de Gelo e Fogo” temos uma história adulta, fruto de muito mais pesquisa e dedicação.

Vale lembrar que dragões de gelo são citados em A Guerra dos Tronos, A Dança dos Dragões, e na enciclopédia O Mundo de Gelo e Fogo, lendas e contos populares, que incluem até o nome de uma famosa constelação, constantemente usada para guiar os personagens em suas jornadas. Resta saber se chegará o dia em que Martin irá resolver apresentar essas fábulas como verdades para os habitantes de Westeros.

Há alguns dias, noticiamos que o conto será adaptado para o cinema numa animação produzida pela Warner Bros. Martin será também um dos produtores do projeto.

A editora LeYa disponibiliza o conto O Dragão de Gelo em dois formatos: No livro homônimo, que leva ilustrações de Luis Royo, e na coletânea George R.R. Martin: RRetrospectiva da obra. Garanta o seus exemplares.


Compartilhe


Comentários